Início ÉRIKA SARTORELLO Cardápio do Prazer – Dia dos namorados

Cardápio do Prazer – Dia dos namorados

Compartilhar

 

Estamos diante do avanço da ciência em decifrar como os alimentos podem tornar a vida sexual mais intensa e prazerosa, podendo ainda, aumentar a fertilidade através do que os cientistas denominaram de Dieta da Sexualidade, que se baseia em uma alimentação com nutrientes, como Zinco, Vitamina C, Vitamina A, Enxofre, Ômega-3, o próprio chocolate, a pimenta, entre outros, que atuam na saúde sexual e reprodutiva, aumentando o nível de substâncias cerebrais associadas ao prazer, favorecendo a libido sexual, melhora do líquido seminal, fertilidade, irrigação sanguínea na região peniana e auto-estima.

Problemas decorrentes de uma alimentação com excesso de alimentos industrializados, carboidratos refinados, assim como, sobrepeso, falta de virilidade, infertilidade e outros, podem ser solucionados ou amenizados com uma reeducação alimentar e boa vontade em estimular a sensibilidade, para que ela seja capaz de associar os alimentos como um trampolim aos estímulos sexuais, visualizando-os na arte, no dia-dia, nas formas, odores, cores e até nos sons que eles produzem ao serem degustados; já que a Organização Mundial da Saúde reconhece que atividade sexual satisfatória é um dos pilares para uma BOA QUALIDADE DE VIDA e consequentemente SÁUDE.

Eis alguns dos alimentos naturais mais afrodisíacos segundo alguns estudos:

Catuaba: aumenta o desejo, diminui o cansaço e tonifica os músculos;

Pimenta: melhora a circulação, aumenta a temperatura corporal e acelera os batimentos cardíacos;

Chocolate: produz hormônios que dão sensação de prazer e bem estar ao corpo; o cacau também contém triptófano, um componente do neurotransmisor serotonina, que facilita o sentido de bem-estar e o relaxamento; quanto mais amargo for melhor;

Açafrão: deixa a região da pélvis mais sensível, aumentando a sensação de prazer;

Gengibre: aumenta o fluxo de sangue para os órgãos genitais, estimulando o desejo;

Mel: estimula a produção de hormônios sexuais, aumentando o desejo; contém muito boro, um mineral que ajuda a metabolizar o estrogénio, hormônio sexual feminino. Estudos também afirmam que aumenta os níveis de testosterona no sangue, hormônio responsável pelo desejo sexual, além de conter vitamina B requerida pela testosterona;

Morango: rico em vitamina C e potássio, melhora a circulação e é muito utilizado juntamente com o chocolate como alimento afrodisíaco;

Canela: tonifica o corpo, estimula a circulação sanguínea e aumenta o desejo;

Castanhas, nozes e amêndoas: estimulam a circulação e aumentam a lubrificação; as amêndoas representam a fertilidade, a oleaginosa é rica em selênio, zinco, vitamina E, magnésio susbstâncias que que aumentam os níveis de hormônios masculinos, logo, o desejo sexual;

Alecrim: estimula e revigora, sendo utilizado também para combater a impotência sexual;

Manjericão – uma erva que tem muitas feições benéficas para o corpo, além de se pensar que o seu aroma é afrodisíaco ou estimulante;

Ostras – Ricas em zinco, estimulam a lubrificação feminina, suas substâncias também são usadas em tratamentos para infertilidade masculina;

Banana – contém muito potássio, magnésio e vitamina B e outros elementos que aumenta a libido masculina;

Alho – composto de alicina que aumenta o fluxo sanguíneo e facilita a circulação sanguínea;

Amendoim – Rico em vitamina E, aumenta a energia e instiga o apetite sexual;

Figos – uma fruta considerada como o mais antigo afrodisíaco. Aparece na Bíblia (a folha que cobre as “partes” de Adão e Eva) e mencionada como a fruta favorita de Cleópatra. Os gregos também a associavam com o amor e a fertilidade.

Aspargos – contêm potássio, fibra, vitamina B6, vitaminas A e C, tiamina e ácido fólico. Favorecem a produção de histamina, hormônio responsável pela estimulação da libido;

Abacate – rico em ácido fólico, vitamina B6 e potássio, melhorando o sistema imunológico.

Aveia – O grão aumenta o nível de testosterona e do aminoácido L-arginina, que é um dos principais componentes dos tratamentos para disfunção erétil;

Folhas verde – Ricas em magnésio e cálcio, minerais que contribuem para a circulação;

Os alimentos considerados afrodisíacos podem ser consumidos individualmente ou inseridos nas refeições habituais, além de acrescentar sabor também aumentam valor nutritivo às refeições. Para que se possa sentir seus efeitos, os alimentos com propriedades afrodisíacas devem ser consumidos em maior quantidade por quem quer estimular o apetite sexual, não existindo uma quantidade ideal. Embora a ciência ainda não tenha demonstrado a ligação direta de certos alimentos no estímulo passional, a realidade é que muitas pessoas em todo o mundo fazem uso desses alimentos para estimular o apetite sexual. E ainda que existam muitas especulações sobre se são ou não afrodisíacos de fato, o certo é que existem numerosos estudos sobre as propriedades nutritivas e estimulantes dos alimentos citados que os convertem em porções e manjares exóticos com possibilidades reais de incidir sobre o desejo sexual. Quando as pessoas adquirirem uma percepção maior da relevância da alimentação, e se dispuserem a elaborar um cardápio que inclua os alimentos com nutrientes necessários a este fim, saúde e qualidade de vida também estarão vinculadas à gastronomia do prazer.