Início BACANA NEWS Comércio varejista apresenta saldo positivo no mês de julho de 2020

Comércio varejista apresenta saldo positivo no mês de julho de 2020

Compartilhar

Foto: Reprodução

As vendas do comércio varejistas aumentaram mais de 5% de junho para julho de 2020. Os resultados foram positivos em 21 das 27 Unidades da Federação. Os dados são da Pesquisa Mensal de Comércio (PMC), divulgada nesta semana pelo IBGE. De acordo com a responsável pela pesquisa, Norma Bentes, esse saldo positivo é resultado da retomada de atividades econômicas em todo o país.

“O desempenho positivo da atividade comercial no estado do Pará está diretamente relacionado ao contexto nacional de injeção de recursos, advindos principalmente do auxílio emergencial, da maior flexibilização das regras de distanciamento social que implica em abertura de setores que antes permaneciam fechados e não podiam realizar as suas atividades e, também, de uma certa demanda reprimida”, explica Norma.

No Estado do Pará, tanto no comércio varejista comum quanto no comércio varejista ampliado (que inclui veículos, motos e materiais de construção) os resultados acompanharam a mesma direção e registraram variação positiva no volume de vendas em julho. Para que esse crescimento permaneça, a pesquisadora, Norma Bentes, afirma que o governo precisa criar novas oportunidades de renda e emprego para os brasileiros.

“Depende muito das ações que vão ser feitas, principalmente, para dinamizar emprego e renda para a população e, particularmente, para a população de baixa renda que tende a viver em condições muito inseguras, adversas e precárias, e quando tem acesso ao mercado de trabalho é pela via da informalidade”, conta.

Em resumo, para o volume de vendas no varejo, o resultado para o mês de junho de 2020 fecha tanto o primeiro semestre quanto o segundo trimestre de 2020 com recordes históricos no campo negativo, para toda a série da Pesquisa Mensal de Comércio. Na primeira metade do ano, devido ao período de isolamento social, as trajetórias dos indicadores, tanto do comércio varejista quanto do varejo ampliado, tiveram, nos meses de março e abril, seus pontos de maior intensidade negativa.

Por Allam William, Bacana News