Início BLOG DO BACANA Projeto de reaproveitamento de Caulim é premiado

Projeto de reaproveitamento de Caulim é premiado

Compartilhar

Foto: Divulgação

Dois profissionais da Imerys, mineradora que atua com caulim no Pará foram vencedores do 22º Prêmio de Excelência Industrial, na categoria Barragens, idealizado pela revista especializada Minério & Minerales. Eles venceram com o projeto “Reutilização do caulim da bacia 03 para processos”.

Concebido por Jorge Almeida, supervisor do Sistema de Rejeitos e José Messias, gerente de Engenharia de Processos, o objetivo foi aproveitar os rejeitos de caulim de uma das bacias de contenção da planta de beneficiamento da empresa, em Barcarena, por meio do seu reprocessamento. Desta forma, há uma redução quantidade de rejeitos que é levada para as bacias da empresa. Além disso, há uma redução do custo do produto final, pela menor quantidade de matéria prima e insumos utilizados, aumento da recuperação do minério processado, e a redução dos impactos ambientais na mina e na planta na construção de novas bacias para armazenar rejeitos.

Jorge Almeida, após perceber que um bom material poderia estar sendo desperdiçado, identificou e planejou, juntamente com José Messias, a execução do projeto. “Passamos a aproveitar 100% do rejeito da chamada bacia 03 e deixamos de enviar os rejeitos para outra bacia, aumentando a vida útil dela. Nosso projeto é baseado em dois pontos: reaproveitar o material da bacia 03, transformando novamente em produto e o aumentar o prazo de vida útil da outra bacia da empresa”, explicou o supervisor.

Hoje, há um total acumulado de mais de 91 mil toneladas de material na bacia 03. Os autores do projeto afirmam que é possível recuperar 85% desses rejeitos sem afetar a qualidade da produção. “Conseguimos reaproveitar esse material. Para isso, fizemos um estudo em laboratório para saber quais características ele deveria ter no reprocessamento e conseguimos maximizar o uso dele. Fomos acompanhados pela equipe de Meio Ambiente, fizemos testes, amostras e percebemos que daria certo e que o resultado do produto final não seria afetado”, contou José Messias.

A primeira fase desse projeto foi iniciada por José ainda em 2009, quando recebeu o reconhecimento da revista pela primeira vez: “É além de qualquer expectativa que eu já possa ter tido. Ter minhas ideias sendo divulgadas e obtendo reconhecimento traz benefícios para mim e para a empresa, sem dúvida é um diferencial”, disse o gerente.

“Fico feliz em ser reconhecido, juntamente com o Messias, em um projeto que traz tanto benefício. Me sinto realizado e isso me leva a querer sempre melhorar como profissional e como ser humano”, observou Jorge.