Início BACANA NEWS Prêmio Sebrae de Educação Empreendedora: dois paraenses seguem na disputa

Prêmio Sebrae de Educação Empreendedora: dois paraenses seguem na disputa

Compartilhar

Foto: Carlos Borges

Os profissionais de educação Halliny Machado de Sousa, do Instituição EMQP, de Marituba, e Cristina do Socorro Arcanjo da Silva, da Escola Martinho Motta da Silveira, de Marabá, venceram a etapa estadual do Prêmio Sebrae de Educação Empreendedora e vão representar o Pará na etapa regional da premiação, de olho na disputa nacional, cujo resultado será divulgado em agosto, em Brasília. O anúncio foi feito na noite dessa quarta-feira, 19, no Restô do Parque, em Belém.

Essa é a primeira edição do prêmio, que tem como objetivo identificar, estimular, reconhecer e divulgar as melhores práticas da educação empreendedora no Brasil, em quatro categorias: ensino fundamental, médio, técnico e superior.

“Há 20 anos, mantemos o sonho de fazer uma educação diferenciada e colher agora esses resultados nos dá grande satisfação”, disse Halliny Machado, que coordena o “Transformando Sonhos em Realidade”, inscrito na premiação na categoria Ensino Profissional.

“Esse foi um sonho de resgate de uma escola que eu fui aluna e que estava prestes a fechar as portas. Tive a oportunidade de contribuir, a comunidade acreditou e tem permanecido próxima e, dessa forma, a escola não fechou”, declarou Cristina do Socorro Arcanjo, responsável pelo “Escola Protagonista e Responsável”, inscrito na categoria Ensino Fundamental.

Também formam reconhecidos dois Destaques Prata: Edson Pereira, da Instituição Elza Albuquerque de Lima, de Juruti, na categoria Ensino Fundamental; e Kleberson Almeida de Albuquerque, categoria Ensino Profissional, da Secretaria Municipal de Educação de Marituba, com os projetos ‘Empreendedorismo e Educação Financeira na Escola’ e Quintais Amazônicos Maritubenses, respectivamente.

Participaram da premiação profissionais de 12 instituições de educação do estado, inscritos de forma individual ou organizados em equipes com até cinco pessoas, que realizam atividades para despertar, estimular ou desenvolver nos alunos interesse pelo empreendedorismo. “Queremos fomentar o empreendedorismo desde a fase escolar, mostrando que empreender é alternativa importante para a geração de emprego e renda e promovendo o desenvolvimento econômico”, frisou o diretor-superintendente do Sebrae no Pará, Rubens Magno.

A premiação está organizada nas etapas estadual, regional e nacional. As melhores iniciativas estaduais e do Distrito Federal são reconhecidas com o troféu e certificado ouro para cada categoria e passarão para a fase regional, quando serão selecionados os projetos para a última etapa. Na fase nacional, serão premiados os 12 melhores casos em todo o Brasil, divididos em troféus ouro, prata e bronze, nas quatro categorias do prêmio. Os quatro vencedores do troféu ouro da fase final também receberão como premiação a oportunidade de apresentar seu caso em evento de visibilidade, bem como participação de Missão Técnica Nacional.

Palestras

Durante o evento de premiação da etapa estadual, foram realizadas duas palestras. Uma delas foi sobre educação e empreendedorismo, ministrada pela professora Maria Flávia Duarte. Ela é professora e doutoranda em administração e estuda sobre empreender e negócios sociais. A outra foi com Márcio Sequeira, arquiteto e urbanista e mestre em Eng. Civil, que falou sobre o projeto Mola, ideia que surgiu na sala da universidade e se tornou a maior campanha de financiamento coletivo do Brasil, hoje presente em mais de 70 países. O palestrante destacou o empreendedorismo por trás da criação, desenvolvimento, financiamento e comercialização.

Fotos: Carlos Borges

Com informações do Sebrae Pará