Início BLOG DO BACANA Moro quer conhecer projeto de ressocialização de presos apresentado por Bengtson

Moro quer conhecer projeto de ressocialização de presos apresentado por Bengtson

Compartilhar

Foto: Facebook/Paulo Bengtson

Por Carlos Augusto Xavier, com a colaboração de Regina Mesquita e sob a supervisão de Renata Tôrres

O deputado Paulo Bengtson (PTB-PA) deve reunir-se com o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, para apresentar com mais detalhes o projeto 100% Liberdade, que trabalha na ressocialização de presos no Pará.

“Por meio do projeto, já temos um número grande de pessoas que trabalham e que mudaram de vida. A nossa taxa de ressocialização é da ordem de 86%. A pessoa que sai da cadeia não volta a cometer crimes. Por que? Porque torna-se um cidadão de bem, que vai contribuir com a sociedade”, destaca o parlamentar.

Paulo Bengtson conversou informalmente com o ministro sobre o 100% Liberdade durante encontro da Frente Parlamentar da Agropecuária e, segundo o deputado, Moro manifestou interesse em conhecer melhor a experiência.

“O ministro achou a proposta muito importante e elogiou-a. Não viu dificuldades [de implementá-la]. Na verdade, pediu que fossemos até ele para apresentar o projeto na prática, porque ficou muito interessado em colocar isso em todo o Brasil”, destacou Bengtson.

Igreja

O 100% Liberdade é administrado há mais de dez anos pela Igreja do Evangelho Quadrangular, da qual o deputado é pastor, e beneficia detentos da Região Metropolitana de Belém e do interior do Pará.

O objetivo do projeto é cuidar da vida espiritual dos detentos, por meio de reflexões com uso da Bíblia e de orações. Em paralelo, também realiza um trabalho com as famílias dos presidiários.

Segundo o deputado, a maior parte dos que estão presos, principalmente por causa de tráfico ou furto, acaba deixando a família refém de outros bandidos, porque ela passa a ser sustentada pelo traficante enquanto a pessoa está na cadeia.

“Então, logo que o preso sai da prisão, a primeira coisa que vai fazer é cometer um crime, porque tem que pagar a dívida com o traficante. Por isso, nós cuidamos dessas famílias, trabalhamos para que elas não tenham a necessidade de estar reféns do tráfico e trabalhamos o detento lá dentro”, explica o parlamentar.

Reformas

Outro ponto de administração do projeto é a reforma e revitalização das prisões públicas, cadeias e penitenciárias, feitas com o apoio de empresários que integram o 100% Liberdade.

“As cadeias que são assistidas pelo projeto têm os menores índices de fuga, de motins e de briga. Por que? Porque ali está uma presença forte da igreja”, afirma Paulo Bengtson.

O deputado lembra que, atualmente, a população carcerária no Brasil é muito superior à capacidade das prisões.

“Não existe, efetivamente, a ressocialização da forma como deveria haver. Então, a pessoa vai para um presídio pagar a sua pena, mas com uma probabilidade muito pequena de ser ressocializada. Normalmente, o que se sabe, é que a pessoa sai de lá muito pior do que entrou. Lá torna-se uma fábrica de gerar novos criminosos”, pondera.