Início BACANA NEWS Fluxo de passageiros no Aeroporto de Santarém deve aumentar 15% nos dias...

Fluxo de passageiros no Aeroporto de Santarém deve aumentar 15% nos dias de carnaval

Compartilhar

Foto: Adonias Silva/G1

Por G1 Santarém

O sobe e desce não vai ser nas ruas com bloquinhos durante o carnaval. Essa movimentação também ocorrerá com aeronaves no aeroporto de Santarém, no oeste do Pará, com a chegada de cerca de 8.500 passageiros durante a folia carnavalesca de 21 a 27 de fevereiro. De acordo com a Infraero, esse total representa aumento de 15% comparado com o mês período no ano passado.

A movimentação no Aeroporto Maestro Wilson Fonseca no carnaval do ano passado registrou 7.406 pessoas transportadas entre os dias 1º e 7 de março.

De acordo com o superintendente do terminal, Enock Alves, a estimativa leva em conta a oferta de assentos das empresas aéreas, que também orientou um plano de ação para garantir a fluidez, o conforto e a segurança de quem vai viajar de avião durante a folia.

“Entre as medidas, destacam-se a intensificação dos trabalhos das equipes de segurança e de operações, incluindo as de plantão, por meio de remanejamento das escalas de trabalho. A empresa também realizou manutenções preventivas em equipamentos como esteiras de bagagens”, explicou.

Números em janeiro

Com capacidade para atender até 1,8 milhão de passageiros por ano, terminal paraense registrou, em janeiro, 58,3 mil viajantes. O número representa um incremento de 18% no total de embarques e desembarques realizados na comparação ao mesmo período de 2019.

“Este aumento é reflexo da recuperação gradual da economia brasileira para lazer e negócios, da maior disponibilidade de assentos nas aeronaves e também do grande potencial turístico da região. Em média, passaram pelo aeroporto 1.946 viajantes por dia”, acrescentou.

O Aeroporto de Santarém funciona 24 horas por dia e opera uma média de nove voos nacionais diários das companhias aéreas Gol, Latam, Azul e Map. As rotas ligam a cidade a destinos como Belém, Altamira e Marabá, no Pará, Manaus (AM), Recife (PE), São Luís (MA) e Brasília (DF).