Início BLOG DO BACANA Extra! Pesquisa sobre o mercado virtual belenense

Extra! Pesquisa sobre o mercado virtual belenense

Compartilhar

Foto: Reprodução

Por Instituto Acertar

Pesquisa desenvolvida pelo Instituto Acertar no município de Belém aponta que 75,1% dos internautas, respondentes da pesquisa, afirmaram ter hábito de comprar pela internet, e 24,9% deles responderam que não utilizam esse tipo de serviço.

A pesquisa foi realizada via online, com amostra não probabilística, no período de 16 a 23 de agosto. Responderam ao questionário 396 internautas de ambos os sexos, com idade igual ou superior a 16 anos. Os dados utilizados para a elaboração da base da amostra foi a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios – PNAD, realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, no período de outubro a dezembro de 2018, que aponta a estimativa populacional de Belém, em 1.174.000 habitantes, com idade de 16 anos a mais. Desse público, 96% faz uso da internet.

No recall de lembranças de lojas virtuais, as dez lojas que se destacaram foram: Lojas Americanas, citado por (30,5%) dos respondentes, Mercado Livre (22,4%),  Amazon (5,5%), Netshoes (5,5%), OLX (4,5%), Saraiva (3,7%), Submarino (3,7%), Ifood (3,3%), Ali Express (2,8%) e Privalia (1,6%). Essas foram as lojas virtuais mais citadas pelos internautas entrevistados. Apesar de parcela significativa dos internautas belenenses afirmarem que têm preferência por compras em determinada loja, estes afirmam também que, antes de comprar qualquer produto, fazem pesquisas em sites especializados, no Google, para identificar onde o produto desejado está mais barato, mais acessível para ser adquirido.

Os produtos comprados pela internet são, preferencialmente, os eletrônicos como: TV, aparelhos de som, DVD, home theater e videogames; seguidos pelos celulares e smartphones. Livros foram citados em terceiro lugar, notebooks e produtos suplementares de informática; calçados; vestuários; ingressos para shows / cinema e atividade esportiva; passagens aéreas, cursos online, produtos de beleza / perfumes / cosméticos / produtos para a pele e cabelo e os eletrodomésticos como micro-ondas e até fogão.

Como mencionado, a pesquisa identificou que 24,9% dos internautas respondentes da pesquisa, disseram que não fazem compras pela internet, e as principais razões para tal comportamento estão relacionadas, principalmente, ao receio de informar dados do cartão de crédito; por dúvidas se o produto vai chegar em casa, por medo de golpes / fraudes de sites de venda falsos, dentre outros. Vale ressaltar que esse público é formado por pessoas de ambos os sexos, concentrados junto aos homens. São pessoas de todas as idades, mais se sobressaem aqueles com 45 anos a mais. Existem também, aqueles que alegam ter preferência em comprar objetos de uso pessoal ou mesmo eletrônicos em lojas físicas, onde pode visualizar o produto, tocar o produto pessoalmente, além de que, também tem o frete desses produtos em lojas online que, segundo esse público, é elevado.