Início BACANA NEWS Cine Líbero Luxardo é referência para estudante nota máxima na redação

Cine Líbero Luxardo é referência para estudante nota máxima na redação

Compartilhar
Enen - Libero Luxardo. Vinicius Amaral - Estudante

Foto: Jader Paes / Agência Pará

Por Agência Pará

O estudante Vinícius Amaral demorou a perceber que obteve a nota máxima em redação no último Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). “Eu estava mais preocupado em somar minhas notas para verificar a média. Só depois de algum tempo me dei conta de que tinha tirado mil pontos”, lembra o rapaz de 18 anos. O tema abordado neste ano trouxe a discussão sobre a democratização do cinema. O jovem construiu seu argumento utilizando como referência a experiência no Cine Líbero Luxardo, vinculado à Fundação Cultural do Pará (FCP), em Belém.

“Na minha redação eu falava da falta de incentivo em relação aos projetos de democratização do cinema. Apesar desse problema, o governo está mudando essa postura gradativamente. Um exemplo vivo disso era o ‘Líbero Luxardo’. É muito importante. Não observamos muitos projetos assim no Brasil, e é muito bom ter em Belém”, contou Vinícius Amaral.

A relação do estudante com o cinema foi construída a partir de 2018, e se fortaleceu ao longo do ano passado. Sua escola fica às proximidades da Fundação Cultural do Pará. Quando precisava relaxar na intensa preparação para o Enem, ele ia com os amigos assistir aos filmes da programação do “Líbero Luxardo”.

Complexo cultural – Com 88 lugares e dois espaços para cadeirantes, a sala integra o complexo cultural Centur, inaugurado pelo Governo do Pará em 1986, que conta também com a Biblioteca Pública Arthur Vianna, o Teatro Margarida Schivasappa, as galerias Theodoro Braga e Benedito Nunes, e outros ambientes dedicados a manifestações artísticas e culturais. De acordo com a gerente do cinema, Annie Carvalho, o espaço já tem um público cativo, que cresce a cada exibição. “Geralmente, são filmes que não passam no circuito comercial. Dependendo da situação, às vezes os ingressos esgotam muito rápido, principalmente nas estreias”, informou a gerente.

As sessões regulares contam com três exibições diárias, sempre de terça-feira a domingo, apresentando produções contemporâneas e clássicas, com ingressos custando R$ 12,00, com meia-entrada. Há também diversos projetos com entrada franca, realizados em parceria com coletivos e associações de cinéfilos, contemplando a produção cinematográfica nas mais variadas manifestações – como a Sessão Cult, em parceria com a Associação de Críticos de Cinema do Pará (ACC-PA); o CineLiso e o Cine Nerd, em parceria com os coletivos CineLiso e Nerds Paraenses, respectivamente, e a Maldita Cineclube, em colaboração com a Associação Paraense de Jovens Críticos de Cinema (APJCC).

Sessão Azul – Além dessas programações, em dezembro o espaço realizou uma Sessão Azul, voltada para pessoas com transtorno do espectro autista (TEA). “No circuito aberto tem essa opção, mas com muito movimento para eles. Aqui é mais tranquilo. Foi uma programação com Papai Noel, filme curto, luzes acesas, e as crianças assistiram a tudo tranquilas. Foi uma experiência maravilhosa”, acentuou Annie Carvalho.

O nome do cinema é uma homenagem a Líbero Luxardo, cineasta, produtor, jornalista e professor nascido em Sorocaba, interior de São Paulo (SP), mas que se tornou “paraense de coração”. Líbero consolidou sua carreira na “sétima arte” em Belém, para onde veio nos anos 1940. É um dos pioneiros do cinema na Amazônia, realizando os primeiros longas-metragens rodados no Pará, com elenco exclusivamente paraense e trilha sonora local, assinadas por importantes compositores, como o maestro Waldemar Henrique e Paulo André Barata.

Serviço: Cine Líbero Luxardo, térreo do Centur – Avenida Gentil Bittencourt, 650, bairro Nazaré. A programação está disponível nas redes sociais do cinema.