Início BLOG DO BACANA Chaves encerra Festividade de São Sebastião com procissão e derrubada do mastro

Chaves encerra Festividade de São Sebastião com procissão e derrubada do mastro

Compartilhar

Foto: Divulgação

A tradicional procissão de encerramento e a derrubada do mastro erguido no início das comemorações, no último dia 09, marcaram a despedida da festividade em honra ao glorioso São Sebastião na localidade Vila de Arapixi em Chaves, município do Marajó. As comemorações do encerramento iniciaram com a procissão dos fiéis, que saiu por volta das 17 horas desta segunda-feira (20) da frente da igreja de São Sebastião, percorrendo as ruas da localidade. Logo após, foi dado início à celebração da missa, em seguida houve a cerimônia de derrubada do mastro com frutas. No decorrer da noite, foi realizado o concurso que elegeu Maria Eduarda Almeida e Vitória Abreu, respectivamente, miss boneca e rainha da festividade 2020. A escolha das representantes da festa ocorreu no Pavilhão de São Sebastião.

Conforme estimativa, a Vila de Arapixi recebe cerca de 3.000 mil visitantes. A maioria é formada por filhos da terra, que residem em outras cidades, estados, e aproveitam o período de festa para rever a família e amigos, além de moradores de comunidades da região. “A festividade é o momento do reencontro, é quase um Natal chaveense. É a oportunidade daqueles que nasceram aqui ou são filhos de pais marajoaras, e que moram fora, retornarem para rever sua terra e familiares. É muito bonito e emocionante”, diz o prefeito de Chaves, Bira Barbosa.

O culto ao santo na região, trazida para o Marajó por missionários e colonizadores portuguese, contribuiu para a construção e afirmação da identidade cultural marajoara. Representa a diversidade e a singularidade da região, na forma como se estrutura e se desenvolve, com elementos próprios. Ao mesmo tempo, possui relevância nacional, na medida em que apresenta elementos essenciais para a memória, a identidade e a formação da sociedade brasileira. Para os marajoaras, o santo é tido como padroeiro e protetor dos trabalhadores da região, cujas atividades estão relacionadas às fazendas, ao cultivo da terra, à pesca e ao extrativismo.

O evento religioso  é um dos mais prestigiados da região, manifestação cultural reconhecida pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) como Patrimônio Cultural Brasileiro.

Programação diversificada

Além da programação tradicional com procissões, levantamento e derrubada do mastro e outros, a Prefeitura Municipal disponibilizou aos moradores da Vila do Arapixi atendimentos de cidadania, como inscrição no Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico); busca ativa de famílias em descumprimento de condicionalidade do PBF, Idosos e Pessoas com necessidades especiais beneficiários do BPC; acompanhamento das demandas do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) de famílias e indivíduos com direitos violados. Também foram realizadas ações de combate à prática do trabalho infantil, por meio de palestras, com distribuição de material educativo e esclarecimentos sobre as diretrizes do Estatuto da Criança e Adolescentes (ECA).

As crianças da Vila de Arapixi não foram esquecidas e durante os dias de festividade foram agraciadas com brincadeiras lúdicas, pintura, música. O público adolescente e juvenil pode participar de palestras educativas sobre temas diversos como drogas, violência doméstica e outros. As ações realizadas têm o objetivo de identificar problemáticas, orientar e promover a participação da comunidade em geral, na construção e disseminação das informações repassadas por equipe técnica, e assim possibilitar a erradicação de qualquer tipo de violação dos direitos sociais do cidadão.

A programação também contou com atividades esportivas com torneio de futsal masculino e feminino envolvendo 24 equipes que disputaram partidas eliminatórias no Ginásio Manoel Ribeiro de Almeida, no último domingo, 19.