Início BACANA NEWS Assassinato de empresário de Marabá Demetrius, polícia trabalha em algumas frentes

Assassinato de empresário de Marabá Demetrius, polícia trabalha em algumas frentes

Compartilhar

Testemunhas e pessoas ligadas ao empresário Demétrius Fernandes Ribeiro, de 61 anos, estão sendo ouvidas pela Polícia Civil de Marabá, que tenta elucidar o assassinato dele. Demétrius foi morto a tiros na manhã do ultimo dia 21, quando estava dentro do carro, na marginal da Rodovia Transamazônica, na Folha 33 (Nova Marabá), parado a poucos metros do semáforo. Até agora, a polícia não tem uma linha de investigação definida, segundo informou, por telefone, o delegado Marcelo Delgado, superintendente da 10ª Região Integrada de Segurança Pública (RISP).

“Ele (Demétrius) era uma pessoa muito conhecida, tinha muitos negócios na cidade, então cada hora chega uma informação nova”, explica o delegado Marcelo Delgado, acrescentando que esse volume de informações abre demais o leque da linha de investigação.

“Ainda não temos uma linha definida, porque chegam muitas informações, então a gente tem que tentar ir aprofundando em cada uma delas para saber se é plausível ou não; estamos fazendo isso nessa fase”, reafirmou o policial.

Demétrius foi assassinado por volta das 8h40. Dois homens numa motocicleta emparelharam a moto com o automóvel da vítima, que estava parado à espera do sinal verde do semáforo, e metralharam Demétrius. A mulher dele, Ielma Silva, que estava sentada do lado do carona, não foi atingida. O Instituto Médico Legal (IML) informou que Demétrius foi alvejado por 12 tiros, sendo 11 no lado esquerdo da região torácica e um no pescoço.

Natural de Tumtum (MA), Demétrius foi um empresário de sucesso em Marabá, primeiro com a DiFerro, depois com a Usimar (Usina Siderúrgica de Marabá). Na década de 2000, ele chegou a ser suplente de senador e escreveu o livro “Do Alto do Coco ao Senado”, contando sua trajetória, desde que nasceu no interior do Maranhão até chegar ao posto de suplente do senador da República Mário Couto.

Ele também comprou o antigo Hospital Celina Gonçalves, mas depois vendeu para o Governo do Estado do Pará, que o transformou em Hospital Regional Público do Sudeste “Dr. Geraldo Veloso”. Visionário, comprou a TV Eldorado (SBT) e também a Rádio Itacaiunas, por ser um apaixonado por comunicação.

Quem está diretamente à frente das investigações sobre a morte de Demétrius Ribeiro é a delegada Raíssa Beleboni, do Departamento de Homicídios de Marabá, que esteve na cena do crime minutos depois do ocorrido e chegou a colher as primeiras informações ainda no local.

Raíssa Beleboni tem sido extremamente cautelosa em relação ao sigilo das investigações e orienta quem tiver informações e não quiser se expor a entrar em contato por meio do Disque Denúncia, que garante o sigilo da fonte. (Chagas Filho)
Correio do Carajás